Revista e premiações são destaques no encerramento do II Congresso de Humanismo Solidário

Transformar a sociedade através da interatividade entre saber acadêmico e os problemas reais é a urgência para ciência católica 

A II edição do Congresso Humanismo Solidário e I International Congress of Solidary Humanism at Science foi concluída com uma reflexão sobre o diálogo social para uma nova cultura. 

Palestra plenária 

A última palestra do evento teve como tema: “O diálogo social para uma nova cultura: aplicabilidade da pesquisa e do humanismo solidário na extensão acadêmica”. Na oportunidade, foi refletido sobre o papel da extensão universitária na formação acadêmica. A extensão foi apresentada como sendo o eixo que pode tornar concreto o projeto do Humanismo Solidário na Ciência, assegurando o diálogo de diversos atores sociais, através da proposta da amizade social insculpida na Fratelli Tutti.

Mediada pela Profa. Dra. Eliana Brito, que atua como Coordenadora Geral dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade Católica do Salvador, teve a participação dos seguintes professores: Prof. Dr. Pe. Manuel José Jimenez Rodriguez, sacerdote da Arquidiocese de Bogotá e membro da Equipe de Reflexão Teológico-Pastoral do CELAM, Prof. Dr. Fabiano Mendonça, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Procurador Federal no estado e do Prof. Dr. Pe. Aníbal Gil Lopes, sacerdote e médico, membro da Pontifícia Academia Pro Vita (Vaticano) e da Academia Europeia de Ciências Letras e Artes (Paris).

Pe. Manuel Rodriguez defendeu que a universidade deve ser um instrumento de transformação da sociedade, sobretudo a partir dos mais pobres, formando cidadãos críticos comprometidos com a realidade local agindo como sujeitos políticos. Para o pesquisador, a universidade deve produzir um saber que impacta a sociedade com soluções para problemas reais. O Prof. Fabiano Mendonça fez uma intervenção marcada pelo tema da espiritualidade. Durante a sua apresentação, o professor mostrou a relação entre universidade e sociedade fazendo críticas quanto ao possível fechamento em si mesmo, ou em prioridades de pesquisa e desenvolvimentos desconectados da realidade, como por exemplo, viagens espaciais, sendo que muito tem a ser feito na casa comum.

Pe. Aníbal Gil Lopes alertou sobre a necessidade de ir ao encontro do outro, superando os fossos intelectuais, saindo  do  lugar de conforto, e da vaidade acadêmica. Disse ainda que, é preciso fazer a leitura do mundo, a partir do olhar do outro, fomentando o diálogo humanista com outros saberes, e acreditando que o conhecimento acadêmico pode ser usufruído pela sociedade de forma transformadora. 

Na cerimônia de encerramento, conduzida pelo secretário executivo da Sociedade Brasileira de Cientistas Católicos, o Prof. Dr. Tiago Paulino, o evento contou com o lançamento da revista científica da SBCC, a premiação de melhor trabalho e uma bênção episcopal de envio dos congressistas. 

O editor chefe da Revista Pesquisa em Humanismo Solidário, O Prof. Dr. Pe. Waldecir Gonzaga (PUC-RIO) apresentou a revista como um instrumental da Sociedade Brasileira de Cientistas Católicos, que receberá artigos produzidos pelas nove áreas da CAPES, a partir do humanismo solidário cristão.  A revista tem comitês internacional e nacional e os artigos poderão ser publicados em cinco idiomas: português, espanhol, inglês, italiano e francês. É possível acessá-la através do site https://revistaphs.catolicosnaciencia.org.br/.

A coordenadora científica do congresso, Profª.. Drª.. Sumaia Midlej Pimentel (UCSal), apresentou alguns dados do evento. Foram 34 trabalhos de 70 autores, 09 horas de apresentação, 40 instituições de ensino superior, 28 palestrantes de 05 países e, aproximadamente,  300 participantes. Na ocasião foram anunciados os trabalhos que mereceram destaque: Desenvolvimento de um ventilador mecânico emergencial de baixo custo Autores: Guilherme Monteiro Torelly, José Eduardo Proença de Carvalho, Fábio Marujo da Silva, Rodrigo Felix de Araújo Cardoso, Carlos Nelson Elias. Relação de ajuda em uma cooperativa na cidade de Lorena. Autora:  Camila Cezar Grillo. Ser mulher/ser mãe  de uma criança com deficiência. Autoras: Beatriz  Cerqueira da Silva  e Sumaia Midlej Pimentel Sa.

O prêmio de melhor trabalho apresentado foi para o artigo  “Modalidade educativa familiar e a dificuldade de aprendizagem escolar: relato de pesquisa” de autoria de Rosa Maria de Mota Azambuja.

O último ato foi a benção de envio  dada por Dom Francisco Agamenilton Damascena, bispo da Diocese de Rubiataba – Mozarlândia, e sócio-fundador da SBCC em que convocou a todos os cientistas a serem sal e luz no mundo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.